terça-feira, 11 de agosto de 2009

11/08/09

Irei hibernar que nem um urso, só estou esperando meu café, logo estará pronto. Acho que parei no tempo, vivendo um tormento, silêncio, quero me desligar, dormir o dia todo, desse mundo me afastar. As motivações de ontem não são as mesmas de hoje, nem muito menos de amanhã. A menina se foi, e a mulher se esconde. O vazio aqui dentro cada vez mais forte, as pessoas se foram, quando você realmente precisa, sempre está sozinho. Doce insegurança, tira de mim toda a esperança. Um dia irei descobrir o porque desse sentimento. As pessoas ao redor não entendem, só quem sabe sente, qual é a realidade de sentir, sentimento sem nome, vazio. Todos dançam, enquanto eu canto uma canção triste. Bipolaridade. Hoje o dia amanheceu frio, cinza, como eu.

2 comentários:

Eduardo Campagnoli disse...

VOCÊ NÃO TÁ SOZINHA!
Me ensina a cantar essa canção triste? Ou então vem dançar comigo. :/

Rafael Chino disse...

muitas pessoas fingem dançar, batem forte no chão, se juntam a multidão para ninguém escutar a canção da angústia. Mal sabem que o que atormenta os ouvidos sai da própria boca. É como sorrir enquanto escorrem as lágrimas, não se sabe se a pessoa está se recuperando da tristeza ou se está tentando disfarçar o desespero. Mas é cedo ainda. Ainda consigo cantar baixo o suficiente para disfarçar.