quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Bubbles





“Creio que aqueles que mais entendem de felicidade são as borboletas e as bolhas de sabão…”
Nietzsche


Há palavras que soam melhor em inglês, Bubbles são bolhas de pensamentos, bolhas onde os sonhos se materializam, pequenas bolhas transparentes que nos trazem uma mensagem diferente, uma de cada vez, palavras para refletir e continuar a sonhar.
Às vezes é difícil saber aquilo que realmente desejamos. Temos tantas influências exteriores, assim como medos pessoais a travar-nos e a demandarem “Presta Atenção!”. E ficamos na espera de um momento livre para dar atenção aos nossos sonhos, objectivos e esperanças, muitas vezes parece que esse momento não vai chegar nunca.
Porém a vida não é como um sonho, é real, é único. E se render a vida, entregar-se por inteiro ao desconhecido é como mergulhar em um mar de ilusões. Nem tudo é como deveria ser, não podemos querer apenas uma casa no campo, as pessoas não se contentam com o simples da vida, elas querem mais. A felicidade não se compra com roupas, carros, viagens... Ela acontece através do que somos.
[Aristóteles defende que o fim último que o homem procura é a felicidade. O prazer, a honra e a riqueza, são próprios dos animais. O prazer é passageiro, a honra não está em poder daqueles a quem é concedida e a riqueza é o meio para fins almejados e, portanto, não pode consistir na felicidade.]
Creio que a felicidade está em nós mesmos, se estamos bem com o nosso interior, estamos em paz ...

3 comentários:

Eduardo Campagnoli disse...

As bolhas sopradas por pessoas e situações nos tocam e nos influenciam. Não há como evitar. O que há para se fazer é arrumar um soprador de bolhas, bem real, e passar a soprar bolhas por ae também, acreditando que a bolha vai seguir junto ao vento para o lugar em que ela deve ir. O importante é acreditar.

Rafael Chino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael Chino disse...

não conhecia esse termo em ingles!mas faz algum sentido!soprar bolhas é envolver aquele pensamento mais profundo e joga-lo ao vento!mas de uma forma a qual não se desfaça no ar, mas em alguma hora ele acaba se dispersando. A realidade nos toca a cada bolha estourada. Tento até demais fugir um pouco da realidade cruel, mas tem horas que me vejo a encarar ela. E penso em como tenho momentos bons e ruis!os ruins me fazem voltar a realidade!os bons me fazem voltar ao mundo imaginário!acho que afinal sou mais um covarde no mundo tentando me mostrar corajoso