terça-feira, 11 de agosto de 2009

Então...

"O amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo, indo embora. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga idéia de paraíso que nos persegue, bonita e breve, como as borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não dói."

Cazuza

3 comentários:

Eduardo Campagnoli disse...

Esse amor que a gente fica procurando pureza e outras bobagens pode até ser o ridículo da vida, mas o que a gente sente naturalmente, seja pela mãe e a irmã, seja por um skate, seja por... deixa pra lá... ahhh! esse não é ridículo, todo o mundo deveria ter um desses. Por mais que PAREÇA ser ruim...

Fran disse...

Não está se referindo ao amor materno, e sim do sentimento que alguns dizem sentir uns pelos outros...

Rafael Chino disse...

o problema do amor hoje em dia é o quão foi banalizado saka!po hoje em dia qualquer paixão é chamada de amor!acredito que cada um de nós nasce com apenas uma asa!é incapaz de voar sozinho!as vezes achamos pessoas que tem asas do mesmo lado que o nosso!o que impossibilita tentar voar!as vezes achamos pessoas com asas diferentes!tentamos voar, mas é impossível!mas quando achamos a asa perfeita o aprendizado segue na medida!nenhum perde a paciência com o outro!para enfim voar para a felicidade!hauhua deu pra entender?